quarta-feira, 13 de junho de 2018

A Intervenção dos GATOS está chegando ...

Tudo começou quando eu vi o primeiro mural de mosaico , pensei isso é incrível, que maneira legal de expor a arte , ver o Mosaico interagir com o meio urbano com as pessoas, me deixou empolgada e muito curiosa em aprender esse técnica do MURALISMO.
Caminhar pelas ruas da cidade e se deparar com a arte expressada em forma de caquinhos,  pinturas, gravuras e até mesmo o paisagismo, torna a vida mais alegre, mais culta,  além de valoriza espaços esquecido e deixa as ruas mais atrativas e prazerosas de se caminhar, acho que todo o cidadão pode colaborar e cuidar desses espaços , junto com a Prefeituras e Municípios.
Desde o meu primeiro contato com o Mosaico Muralismo venho acompanhando trabalho de varios artistas que fazem Intervenção por meio do Mosaico, alguns com permissão outros sem mas o fato que isso gerou um movimento muito bacana, que é a doação da arte para as ruas das Cidades.
Em 2016 tive a oportunidade de organizei o Workshop de Intervenção Urbana trazendo a artista Gaucha Silvia Marcon que tem o projeto das Monalisas que já está bem difundido no Rio Grande do Sul na Capital Porto Alegre, aqui ela pode ensinar um pouco dos seus conhecimentos e também espalhar sua arte pelas ruas da Cidade, escolhemos lugares alternativo e estratégicos na região do Largo da Ordem para ser palco da nossa primeira Intervenção de Mosaico em Curitiba se quiser conferir mais desse trabalho acesse o link abaixo
schandramosaico.blogspot.com/2016/05/mosaico-urbano-monalisas-curitiba.html
De lá pra cá se passou quase dois anos, fiz algumas intervenções por ai  mas não adotei nenhum tema como a maioria dos artistas dessa área tem,  não quero ficar rotulada ou aprisionada a isso,  tenho varias ideias em mente mas os GATOS serão o estopim o start que eu preciso para poder iniciar esse trabalho de Intervenção Urbana em Curitiba.
Por que os Gatos ? apesar de nunca ter tido um , acho um animalzinho fabuloso,  esperto, elegante, possui muitas habilidades, amável , tem  hábitos noturnos e por ai vai a lista é enorme, por isso foi o escolhido. Já tenho 5 mosaicos prontos, começarei a minha intervenção com o 7 , acho um numero supersticioso assim como a lenda que o gato tem 7 vidas.


Essa é a primeira tela, quem começou foi minha filhota, estamos usando no mosaico reaproveitamento de usando azulejos antigos descartado de construções.


Aqui nessa outra tela  , também tem a proposta do reaproveitamento só que o material usado é restos de pastilhas, os dois trabalhos foram feitos da mesma forma , plotagem da imagem, plástico sob a plotagem e tela sob o plástico aonde fixo as pastilhas e azulejos, uso cola branca , antes de fixar da parede recorto o excesso de tela e fixo com argamassa e finalizo com rejunte,


Espero que tenha gostado do projeto em breve trago novidades !!!!



sexta-feira, 27 de abril de 2018

Aula de Picassiette


Hoje quero compartilha o resultado dessa experiencia bacana que foi dar aulas
de mosaico picassiette, no Atelie ILR da Mosaicista Isolda Losso em Curitiba.
Minha primeira aluna a Cris, comecei meio timida, insegura, mas aos poucos  o conhecimento foi fluindo, o clima gostoso de descontração e criatividade foi inspirador para aluna e professora de primeira viajem, começamos escolhendo os materiais, a base para o arranjo foi um vaso grande que já estava previamente cortado depois escolhemos as louças, procuramos as cores que mais se aproximavam das flores naturais para dar um efeito bem realista ao trabalho.
No primeiro paço a produção das pétalas, depois seguimos para a montagem das flores.


Em paralelo foi desenvolvendo um quadro de minha autoria, com margaridas, rosas e amor -perfeito, o quadro da aluna tinha uma variedade maior de flores , como a hortencias e a tulipas.





Colamos as bases dos arranjos, no meu trabalho colei as flores e o fundo ficou em segundo plano,  no trabalho da Cris o fundo foi feito antes e as flores sobrepostas dessa forma fica mais facil quando for aplicar o rejunte . 

Escolhi um fundo escuro que contrastou muito bem com o colorido das flores.




A Cris preferiu uma cor mais clara de fundo usamos pastilhas de vidro . que também harmonizou muito bem com seu arranjo, o quadro em madeira de demolição mede 60x40 e foi feito em 5 proveitosas aulas aonde a aluna saiu apta a fazer novas obras.
Fiquei feliz e orgulhosa do resultado final, desafio vencido , estou aguardando os proximos...



sexta-feira, 9 de março de 2018

Como calcular o valor do seu mosaico

Ola Pessoal,

Hoje quero abordar um assunto que a maioria das pessoas querem saber , como colocar preço em seus trabalhos de mosaico, achei essa publicação maravilhosa e quero compartilhar com vocês, quem escreveu esse artigo foi a Artista e Empresaria  Leticia Melara proprietaria da Escola Curitiba De Mosaico junto com a consagrada artista
 Mosaicista Beatriz Pereira.  Espero que esse poste ajude e elucide suas duvidas .


Muitas pessoas me perguntam como podem formar o preço para a venda de seus mosaicos. 
Seguem algumas considerações e sugestões que tenho para dividir com vocês sobre este assunto.
Considerando que mosaicos podem ser classificados, de uma forma geral, em utilitários ou artísticos, hoje vou dar mais atenção para o utilitário ( mesas, números de casas, logomarcas, bandejas, etc). O artístico tem uma variação tão complexa e depende de tantos fatores e variáveis, que numa outra oportunidade posso escrever um pouco mais.
Na verdade, não existe uma fórmula pronta, tudo depende do grau de complexidade do trabalho que você está vendendo, bem como da técnica que está usando e até mesmo da fama e credibilidade que seu nome ou marca já possuem no mercado. E o que quero dizer aqui é de não se tratar de cobrar a mais ou a menos, simplesmente de cobrar o justo.
Esta é a pergunta que sempre faço: quanto custa a hora de trabalho de qualquer profissional de serviço? Você não pode ganhar menos por hora do que o trabalhador da profissão com menor remuneração no mercado ganha... não é verdade? No Brasil, de um modo geral, o artesão é mal remunerado, simplesmente por uma questão cultural do nosso país. 
Muitas vezes um cliente não se incomoda de pagar alto no corte de cabelo ou na roupa que usa, mas não aceita pagar o valor justo por um mosaico que será único e eterno muitas vezes. É cultural... Precisamos mudar esta péssima cultura do consumidor !
" É importante mensurar as horas trabalhadas versos a complexidade do desenho para estabelecer o valor da mão de obra e só depois, incluir o valor do material usado." 
Por exemplo: considerando algo "básico do básico" como um número de casa 20x30cm feito em pastilhas de vidro com cortes simples dentro de um desenho geométrico, calcularia pelo menos R$1500,00 o metro quadrado da mão de obra + o custo do material usado. Já um cachepô ou tampo de mesa com cortes e desenhos bem estruturados e complexos, o metro quadrado da mão de obra deve passar para pelo menos R$ 3000,00. E se faz algo realmente especial, usando técnicas super elaboradas poderá certamente aplicar um valor mais alto.
Considere que para um simples número de 20x30cm gastará pelo menos umas 6 horas de trabalho. 
Mosaico é trabalhoso, lento, minucioso e, na sua grande maioria, único. Precisa ser valorizado como algo realmente especial. Se você não está querendo presentear ninguém e se seu negócio é vender mosaicos, faça um bom trabalho, use materiais de qualidade, valorize-se e aplique o preço justo, assim formaremos um mercado bem legal onde todos ganham.
Boas ideias e negócios a todos! by Leticia Melara